Home   |   Caio Fábio   |   Notícias   |     Vem & VÊ TV   |   Loja Virtual   |   Download   |   Contato    |      En Español      In English

E-mail

Senha Pesquisa
 

 

Esqueci minha senha Ainda não tenho cadastro

Pesquisa avançada

Hoje, sábado, 1 de novembro de 2014

CANAIS

Mensagens da Graça

In English

Cartas

A Mente de Paulo

Informativo

A Nueza da Alma

Reflexões

Devocionais

Histórias

Artigos

Opinião

Clássicos

Notícias - Brasil | Mundo

En Español

Vem & Vê TV

Cadastre-se

Manutenção do site

 

Você é a favor da redução da maioridade penal?

Sou a favor da redução

Sou contrário a redução

Sou a favor da redução para idade de 12 anos

Sou a favor da redução para idade de 16 anos

Sou a favor da redução para idade de 14 anos

 

Baixe gratuitamente, livros, mensagens e conteúdos diversos.

Faça agora mesmo o seu cadastro gratuito e receba informações atualizadas.

 

Página principal > Cartas

A+  |  A-  |  Imprimir  |  Download Abrir em nova janela   |   Enviar para um amigo

MEU MARIDO VÊ PORNOGRAFIA, MAS NÃO ME ‘TRAÇA’...

A formatação do texto está ruim? Clique aqui.



----- Original Message -----
From: MEU MARIDO VÊ PORNOGRAFIA, MAS NÃO ME ‘TRAÇA’...
To: contato@caiofabio.com
Sent: Monday, April 04, 2005 11:44 AM
Subject: Fw: Meu marido é um viciado em pornografia ....e eu amo fazer sexo... e fico a ver navios...

 


Amado pastor Caio, 


Acabei de ler a resposta à carta “Meu marido é viciado em pornografia ...como faço para ajuda-lo?”

Sempre leio o seu site, os estudos principalmente, os estudos de Paulo. Tenho aprendido muito com todo site e tenho divulgado para os meus amigos crentes em Cristo ou não.


Eu nunca tinha achado uma carta parecida com minha história, pois, o meu marido é viciado em pornografia.

Namoramos 3 anos e meio, e estamos casados há 11 anos e temos 2 lindos filhos.


Meu marido é crente desde criança, sempre freqüentou a igreja com sua mãe e irmãos. Meu sogro nunca foi crente.

Eu me decidi por Jesus na adolescência. Sou filha caçula de 4 irmãos, sempre fui muito dinâmica comecei a trabalhar desde os 10 anos.


Quando eu era noiva fiquei sabendo junto com minha sogra que meu marido, noivo à época, tinha alugado uma fita pornográfica. Eu e ela fomos devolver umas fitas na locadora e a moça da locadora disse que estava faltando uma fita, e minha sogra perguntou o nome da fita, quando saímos da locadora minha sogra disse que era uma fita pornográfica que meu marido tinha alugado. Ela me disse que conhecia o nome porque meu sogro sempre gostou deste tipo de filme. Ela me contou também que desde que os meninos eram pequenos, principalmente os menores, meu sogro comprava revistas de mulheres peladas e deixavam à vista para os meninos verem e terem livre acesso.


Na época perguntei ao meu marido sobre essa fita e ele falou que pegou por curiosidade. Aceitei a justificativa e nunca mais falei no assunto.

No ano passado peguei meu marido em sites pornográficos e perguntei a ele qual era o motivo daquilo, já que eu sempre gostei e gosto de fazer sexo. Se ele queria que nos víssemos antes de ir para a cama... Se ele quisesse... eu até poderia pensar na possibilidade de fazer isso, mas não achava graça em ver fotos pornográficas.


Na época ele me contou que era viciado... e depois de brigarmos muito ele foi para a casa da mãe dele.

Chegando na casa da mãe dele ele contou o ocorrido... A mãe o aceitou dentro de casa, mas não conversou com ele mais... Seu pai veio tirar satisfações comigo falando que eu era muito puritana já que na família dele—“os irmãos do meu sogro”—, isso era muito normal.


Depois de 2 dias na casa da minha sogra os meus filhos pediram que ele viesse visitá-los. A minha sogra chamou ele e disse que eu o havia chamado de volta para casa. Ele voltou e disse que iria procurar ajuda. Eu como sou leitora assídua do site, tudo que tinha no site... eu gravei no nosso computador... para ele ler, e fazer uma reflexão. No começo ele lia uma carta e outra... depois nunca mais leu nenhuma carta.

Passando o tempo... ele disse que não precisava de ajuda, só do meu apoio como eu sempre fiz. Na época eu perguntei a ele se ele era homossexual, se eu não o satisfazia... etc. Porque desde que casamos nunca fizemos amor mais que duas vezes por semana e ficamos até mês sem fazer sexo. Ele sempre dizia que estava cansado e que usava muito a cabeça no trabalho e isso o desmotivava sexualmente; e eu ficava sempre a ver navios com toda vontade do mundo.

Toda vez que fizemos sexo sempre tive orgasmos, e eu sempre pedia mais...; e ele prometia que no próximo dia teria de novo... e passava dias. E eu achava normal... mesmo com minhas amigas dizendo que seus maridos queriam todos os dias... e elas sempre recusavam. Sempre achei normal cansaço, stress, etc.

Quando ele voltou para casa, ele colocou uma norma que entrava na net só quando eu estivesse junto. Fiquei noites e noites acordada de madrugada com ele para ele fazer alguma coisa na net para igreja ou para o trabalho. Depois ele e eu achamos que não haveria mais necessidade.

Esta semana conferindo o histórico no computador vi um nome de um site meio suspeito... conversei com um casal amigo nosso pelo MSN... Eles abriram na casa deles e eu aqui... e constatamos que era um site pornográfico. Eles me aconselharam a conversar com ele abertamente, sem medo, e com sinceridade. Este casal de amigos são as únicas pessoas que sabem do problema do vicio, além dos pais dele.


Primeiramente ele negou. Disse que recebeu um e-mail, que o link abriu aquele site...; disse que foi um amigo do trabalho...


Eu disse que iria atrás desse amigo para tirar satisfações com ele, já que ele sabia que ele era crente e não gostava de brincadeiras deste tipo... No trabalho ele é muito sério e sempre foge das piadinhas sem graça dos amigos. Ele falou que talvez não fosse esse amigo quem tinha enviado o e-mail, porque existia sempre muito vírus dentro dos computadores..., e esse poderia ser um caso de vírus.

E eu fiquei perguntando como um chefe de sessão faria uma brincadeira sem graça e sem edificação nenhuma... Depois de um tempo ele confessou que foi ele mesmo quem abriu o site, disse que realmente era um viciado, e que todos os dias ele sofria a tentação, que era muito difícil, que eu não entenderia, que eu poderia fazer o que eu quisesse... já que eu tinha avisado anteriormente que não daria segunda chance... já que eu sempre dei muito apoio na primeira vez, e nunca o recusei na cama, e sempre o procurava quase diariamente, e ele sempre recusava...; mas sempre falando que me amava e gostava muito de fazer sexo comigo.


Ele é uma pessoa muito sensível, e eu senti que não houve arrependimento e nem pedidos de perdão como ele sempre fez.


Nossos amigos vieram nos visitar para que o esposo conversasse com ele pra ver o que estava acontecendo... para que os velhos hábitos saíssem... Ele disse que tinha errado novamente e que eu nunca tinha o perdoado verdadeiramente... que eu fizesse o que quisesse, pois o vicio já tinha consumido suas forças.

Nosso amigo em comum achou que o arrependimento não estava mais fazendo diferença... ele estava indiferente com a situação.


Quase uma semana depois... e ele não me chamou para conversar... ou tomar uma atitude de mudança... e eu estou aguardando uma conversa, já que eu tinha dado uma chance, e tinha avisado que era muito dolorido o sentimento de rejeição da parte dele... já que eu o amava e sempre estaria com ele em qualquer circunstância de dificuldade para ajuda-lo contra esse vício.

 

Agora eu não sei o que fazer, a minha situação é diferente de todas as cartas que eu já li neste site, sempre as mulheres são muito puritanas e acham que sexo é uma obrigação, eu acho que é uma benção de Deus e é muito bom...

O que eu queria mesmo era um homem de verdade que gostasse de sexo e me devorasse por inteira como em Cantares... Não um homem como uma mente infantil... que se satisfaz em ver pornografia, dormir abraçado, mas sem sexo.

 


Nele em quem cremos e temos a certeza que Ele estará conosco até a consumação dos séculos.

 

___________________________________________________

Resposta:


Minha querida irmã: Graça e Paz sobre a sua vida!

 

Paulo diz que o corpo de ambos os cônjuges pertence ao outro sexualmente falando. Por isso ele recomenda que os casais sem ativos e regulares na vida sexual; inclusive para prevenir as tentações nessa área da vida.

O problema da pornografia é o menor de todos na sua situação. Afinal, sinceramente, não acho que um casamento deva acabar por tal razão. Se o problema fosse apenas a pornografia, o que se recomendaria seria tratamento de natureza psicológica, a fim de ajudá-lo a amadurecer, visto que tal prática, na maioria das vezes, é fruto de infantilismo psicológico na área sexual.


Além disso, conforme o pai dele disse, “na família..., é normal”. Ora, 95% dos homens que eu conheço adoram ver revista ou site de mulher pelada. Portanto, trata-se uma coisa que acontece a torto e a direito.


Muitos maridos vêem sites pornográficos. E a meu ver isso é pura infantilidade de alma. No entanto, em geral, as esposas ou companheiras não estão ‘nem aí’... Isso porque o sujeito vai e ‘traça’ a mulher, de verdade, vendo ou não o site.


De fato, se apesar do desconforto que a situação causa numa mulher-esposa, caso seu marido fosse sexualmente ativo, então, certamente, você não estaria se sentindo como se sente hoje.


Portanto, de tudo o que você narrou, o que mais preocupa é o desinteresse sexual dele, que parece ser total. Ora, se é assim... e ele não é gay, então, sobra a possibilidade de que ele se ‘satisfaça saindo na mão’ (masturbação), ou que seja tão adoecido neste particular... que apenas se satisfaça em ver mesmo.


O que me intriga é o desinteresse sexual, todavia. Isto porque ou ele não gosta de você e não tem coragem de dizer...; ou, então, ele usa o vício visual da pornografia a fim de fazer compensações psicológicas pelo amortecimento dele na área sexual pratica e factual.


Seja como for... ele precisa de tratamento. Digo isto porque não será possível para você agüentar isto por muito tempo. E, se seu desejo é ficar casada com ele e ele com você, então, ele tem que se tratar.


No entanto, a relutância dele quanto a buscar ajuda, e a confissão a você e ao amigo de que ‘não tem forças de combater o vício’, parece configurar um ‘angustia mais profunda’.


Ou seja: de longe... de onde estou... e apenas lendo a sua carta... e supondo que você está sendo minimamente coerente com a coisa toda..., me parece haver algo que não foi dito por ele. Sim, aparentemente o conflito dele é muito maior e angustiante.


Sugiro que você veja com ele se ele de fato quer continuar casado.


Pode ser que ele não queira, mas não tenha coragem de dizer.


Pode ser que o ‘vício na pornografia’ seja apenas o ‘álibi’ que ele usa a fim de ver se você enxerga o fato de que o foco dele está em outro lugar.


Pode ser muita coisa...


Não o pressione. Torne tudo fácil para ele. Não arme barraco e nem faça escândalo. Apenas dê total liberdade a ele se for o caso dele não querer o casamento...; ou, quem sabe, desejar um casamento ‘celibatário’, como acontece em muitos casamentos.


Mas para que um casamento exista sem sexo e apenas com amizade fraterna no ambiente do lar... , é preciso que ambos queiram e se agradem de tal projeto de conjugalidade.


Se, todavia, um não se satisfaz com tal coisa, é direito desse que é ‘lesado’ pela inapetência do outro cônjuge quanto ao sexo, pedir separação; e não só tem esse direito, como também tem essa necessidade; visto que manter alguém no seu estado, é a receita para que em algum tempo você não agüente mais de ‘vontade de ser traçada por um homem’—conforme você colocou—, e acabe por se envolver com alguém... ; e, por fim, venha a sair desse casamento como a ‘adúltera’... a que foi infiel... a que não se segurou...


O casamento não é maior que o individuo, assim como o Templo, o Sábado ou a Lei..., não são maiores que o homem, conforme o ensino de Jesus.


Portanto, nenhum casamento tem primazia sobre os indivíduos. Assim, eu digo que mais importante do que ‘preservar’ um casamento, é ver as pessoas ‘salvas’ dentro dele.


Ora, se um casamento é uma prisão ou uma opressão para um dos cônjuges, tal casamento não tem razão de ser.


Na minha visão do Evangelho, Jesus jamais manteria um casamento se o preço fosse a falência humana dos implicados.


Casamento tem que realizar um bem comum e também uma satisfação individual. Todo casamento que falha em atender essas duas áreas, não é casamento, mas apenas contrato civil de fidelidade moral. Nada além disso.


Assim, minha irmã, a grande questão não é acerca da pornografia, mas sim do significado do casamento de vocês; e se seu marido quer de fato ser um marido, um homem casado, um adulto maduro e responsável para a vida em todos os aspectos, incluindo a conjugalidade.


Resolva isso na paz. E se a disposição dele for pela separação, então, não manipule, não arme barraco, e não o humilhe. Saia amigavelmente e bem de mansinho...


Todavia, se ele disser que deseja salvar o casamento, então, que aceite, busque e deseje o tratamento... E mais: que tente descobrir dentro dele mesmo de onde vem esse desinteresse por essa benção do sexo, e que é, como você disse, uma dádiva divina, inclusive para aliviar o stress da vida.


Essa é minha opinião, e espero que lhe seja útil.

 

Nele, em Quem somente os casados de alma são casados,

 

Caio


< Voltar

   

Compartilhe esta página

FACEBOOK DIGG DEL.ICIO.US TECHNORATI

Home   |   Caio Fábio   |   Notícias   |     Vem & VÊ TV   |   Loja Virtual   |   Download   |   Contato    |     En Español      In English

www.caiofabio.net  - Todos os direitos reservados. Política de privacidade e segurança